segunda-feira, 3 de julho de 2017

Portal Teologia & Missões

I e II Livro de Reis - Comentário


Autor: 

O Livro de 1 Reis não cita especificamente o nome do seu autor. A tradição é que ele foi escrito pelo profeta Jeremias.

Quando foi escrito: 

O Livro de 1 Reis foi provavelmente escrito entre 560 e 540 AC.

Propósito: 

Este livro é a continuação de 1 e 2 Samuel e começa traçando a ascensão de Salomão ao trono após a morte de Davi. A história começa com um reino unido, mas termina em uma nação dividida em dois reinos conhecidos como Judá e Israel. 1 e 2 Reis são combinados em um único livro na Bíblia hebraica.

Versículos-chave: 

1 Reis 1:30: “farei no dia de hoje, como te jurei pelo SENHOR, Deus de Israel, dizendo: Teu filho Salomão reinará depois de mim e se assentará no meu trono, em meu lugar.”

1 Reis 9:3: “e o SENHOR lhe disse: Ouvi a tua oração e a tua súplica que fizeste perante mim; santifiquei a casa que edificaste, a fim de pôr ali o meu nome para sempre; os meus olhos e o meu coração estarão ali todos os dias.”

1 Reis 12:16: “Vendo, pois, todo o Israel que o rei não lhe dava ouvidos, reagiu, dizendo: Que parte temos nós com Davi? Não há para nós herança no filho de Jessé! Às vossas tendas, ó Israel! Cuida, agora, da tua casa, ó Davi! Então, Israel se foi às suas tendas.”

1 Reis 12:28: “Pelo que o rei, tendo tomado conselhos, fez dois bezerros de ouro; e disse ao povo: Basta de subirdes a Jerusalém; vês aqui teus deuses, ó Israel, que te fizeram subir da terra do Egito!”

1 Reis 17:1: “Então, Elias, o tesbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Tão certo como vive o SENHOR, Deus de Israel, perante cuja face estou, nem orvalho nem chuva haverá nestes anos, segundo a minha palavra.”

Resumo: 

O Livro de 1 Reis começa com Salomão e termina com Elias. A diferença entre os dois nos dá uma ideia do que aconteceu. Salomão nasceu depois de um escândalo real entre Davi e Bate-Seba. Como seu pai, ele tinha uma fraqueza por mulheres que chegaria a derrubá-lo. Salomão fez bem, de primeira, ao orar por sabedoria e construir um templo a Deus que levou sete anos. Em seguida, no entanto, ele passou 13 anos construindo um palácio para si mesmo. Seu acúmulo de muitas mulheres o levou a adorar os seus ídolos e afastar-se de Deus. Após a morte de Salomão, Israel foi governado por uma série de reis, a maioria dos quais eram perversos e idólatras. Isso, por sua vez, levou a nação para longe de Deus de tal forma que nem a pregação de Elias seria capaz de trazê-los de volta. 

Entre os reis mais perversos estavam Acabe e sua rainha, Jezabel, os quais trouxeram a adoração de Baal a novas alturas em Israel. Elias tentou fazer com que os israelitas retornassem à adoração de Jeová, chegando até mesmo ao ponto de desafiar os sacerdotes idólatras de Baal para um confronto com Deus no Monte Carmelo. Claro que Deus ganhou. Isso muito irritou a rainha Jezabel (para dizer o mínimo). Ela ordenou a morte de Elias, por isso ele fugiu e se escondeu no deserto. Deprimido e exausto, ele disse: “Deixe-me morrer”. Mas Deus enviou alimentos e encorajamento ao profeta e sussurrou-lhe “um cicio tranquilo e suave”, salvando a sua vida no processo para trabalho futuro.

Prenúncios: 

O Templo em Jerusalém, onde o Espírito de Deus habita no Santo dos Santos, é um prenúncio dos seguidores de Cristo em quem o Espírito Santo reside desde o momento da nossa salvação. Assim como era para os israelitas abandonar a idolatria, devemos também pôr de lado qualquer coisa que nos separa de Deus. Nós somos o Seu povo, o templo do Deus vivo. Segundo Coríntios 6:16 nos diz: “Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuários do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.”


O profeta Elias foi o precursor de Cristo e dos apóstolos do Novo Testamento. Deus permitiu que Elias fizesse coisas milagrosas a fim de provar que era realmente um homem de Deus. Ele ressuscitou dos mortos o filho da viúva de Sarepta, causando-lhe a exclamar: “Nisto conheço agora que tu és homem de Deus e que a palavra do SENHOR na tua boca é verdade”. Da mesma forma, os homens de Deus que falaram Suas palavras através do Seu poder são evidentes no Novo Testamento. Jesus não só ressuscitou Lázaro dentre os mortos, mas também ressuscitou o filho da viúva de Naim (Lucas 7:14-15) e a filha de Jairo (Lucas 8:52-56). O apóstolo Pedro ressuscitou Dorcas (Atos 9:40) e Paulo ressuscitou Êutico (Atos 20:9-12).

Aplicação Prática: 

O Livro de 1 Reis tem muitas lições para os fiéis. Nesse livro encontramos uma advertência para que tipos de amigos temos, especialmente no que diz respeito a associações próximas e casamento. Os reis de Israel que, como Salomão, casaram com mulheres estrangeiras expuseram a si mesmos e às pessoas que governavam ao mal. Como seguidores de Cristo, devemos ter muito cuidado sobre quem escolhemos como amigos, colegas de trabalho e cônjuges. “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes” (1 Coríntios 15:33).

A experiência de Elias no deserto também nos ensina uma lição valiosa. Depois da sua vitória incrível sobre os 450 profetas de Baal no Monte Carmelo, sua alegria transformou-se em tristeza ao ser perseguido por Jezabel e ter que fugir para salvar sua vida. Tais “experiências do topo da montanha” frequentemente são seguidas por uma desilusão e pela depressão e desânimo que surgem em seguida. Temos que estar atentos para este tipo de experiência na vida Cristã. No entanto, o nosso Deus é fiel e nunca vai nos deixar ou abandonar. O cicio quieto e suave que encorajou Elias vai nos encorajar também.

Fatos Culturais e Destaques:

Embora 1 Reis comece relatando a sucessão de Salomão ao trono, seu pedido a Deus por sabedoria e a construção do templo, a situação logo se deteriora, sob diversos aspectos. Salomão impôs elevados impostos, usou trabalho escravo e permitiu que suas várias esposas pagãs o envolvessem no culto a ídolos, e sua evidente desobediência espalhou as sementes do mal, que logo brotaram. A nação de Israel se dividiu. Os reis sucessores também desobedeceram aos decretos e à aliança de Deus, enfraquecendo ainda mais a influência divina sobre a cultura do povo e favorecendo a instabilidade e grandes dificuldades. 

Enquanto você lê:

Continuando a narrativa de 1 e 2 Samuel, 1 Reis conta a história do declínio da monarquia de Israel. Note o que acontece quando o povo desobedece à aliança com Deus e desrespeita seus profetas.  Acompanhe a contínua inclinação do povo para o pecado e para a falta de arrependimento, tendências relatadas em livros anteriores do AT. Como um ancião, Davi incentiva seu filho e sucessor, Salomão, a permanecer obediente a Deus e a atentar para as consequências de seus atos. Saiba por que a nação de Israel se dividiu e o que o rei Jeroboão tem a dizer sobre seus bezerros de ouro. Finalmente, observe o padrão pelo qual os reis são julgados e a fé corajosa demonstrada por Elias e Eliseu enquanto servem a Deus numa época violenta e instável. 

Você Sabia? 

. Antigamente, a maioria das prostitutas eram escravas, geralmente filhas vendidas pelos pais ou mulheres pobres que nunca haviam se casado ou que haviam perdido o marido (3.16).

. Visto que Salomão possuía 1.400 carruagens (10.26; 2 Cr 1.14), seus estábulos foram construídos com baias para 2.800 cavalos (dois para cada carruagem) e baias adicionais para 1.200 cavalos (1 Rs 4.26). 

. A sabedoria antiga incluía música, poesia, provérbios para uma conduta sábia e o que chamaríamos hoje "ciência" (4.29-34). 

. Na época do AT, era comum o cidadão de uma nação reconhecer os deuses de outra (5.7).

. O Palácio da Floresta do Líbano foi assim nomeado porque seus pilares eram feitos de troncos de cedros do Líbano, o que dava ao palácio a aparência de uma grande floresta (7.2). 

. O "mar de fundição" (ARA) era um enorme reservatório de água, que comportava cerca de 43.500 litros, usado pelos sacerdotes para o ritual de purificação (7.23). 


Livro de 2 Reis 

Autor: 

O Livro de 2 Reis não cita especificamente o nome do seu autor. A tradição é que ele foi escrito pelo profeta Jeremias.

Quando foi escrito: 

O Livro de 2 Reis, assim como 1 Reis, foi provavelmente escrito entre 560 e 540 AC.

Propósito: 

O Livro de 2 Reis é uma continuação do livro de 1 Reis. Ele continua a história dos reis durante o reino dividido (Israel e Judá). O Livro de 2 Reis termina com a derrota final e deportação do povo de Israel e Judá para Assíria e Babilônia, respectivamente.

Versículos-chave: 

2 Reis 17:7-8: “Tal sucedeu porque os filhos de Israel pecaram contra o SENHOR, seu Deus, que os fizera subir da terra do Egito, de debaixo da mão de Faraó, rei do Egito; e temeram a outros deuses. Andaram nos estatutos das nações que o SENHOR lançara de diante dos filhos de Israel e nos costumes estabelecidos pelos reis de Israel.”

2 Reis 22:1a-2: “Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar e reinou trinta e um anos em Jerusalém. Fez ele o que era reto perante o SENHOR, andou em todo o caminho de Davi, seu pai, e n
ão se desviou nem para a direita nem para a esquerda.”

2 Reis 24:2: “Enviou o SENHOR contra Jeoaquim bandos de caldeus, e bandos de siros, e de moabitas, e dos filhos de Amom; enviou-os contra Judá para o destruir, segundo a palavra que o SENHOR falara pelos profetas, seus servos.”

2 Reis 8:19: “Porém o SENHOR não quis destruir a Judá por amor de Davi, seu servo, segundo a promessa que lhe havia feito de lhe dar sempre uma lâmpada e a seus filhos.”

Resumo: 

Segundo Reis retrata a queda do reino dividido. Profetas continuam a alertar as pessoas que o juízo de Deus está próximo, mas elas não se arrependem. O reino de Israel é repetidamente governado por reis maus, e apesar de alguns dos reis de Judá serem bons, a maioria acaba afastando o povo de adoração ao Senhor. Os poucos governantes que eram bons, junto com Eliseu e outros profetas, não podem parar o declínio da nação. O Reino do Norte de Israel é eventualmente destruído pelos assírios, e cerca de 136 anos depois o Reino do Sul (de Judá) é destruído pelos babilônios.

Existem três temas de destaque presentes no livro de 2 Reis. Primeiro, o Senhor julgará o seu povo quando eles desobedecem e viram as costas para Ele. A infidelidade dos israelitas foi refletida na idolatria perversa dos reis e resultou em Deus exercendo Sua justa ira contra a rebelião. Em segundo lugar, a palavra dos verdadeiros profetas de Deus sempre se realizam. Porque o Senhor sempre cumpre sua palavra, assim também as palavras de seus profetas são sempre verdadeiras. Em terceiro lugar, o Senhor é fiel. Ele se lembrou de sua promessa a Davi (2 Samuel 7:10-13) e, apesar da desobediência do povo e dos reis perversos que os governaram, o Senhor não deu um fim à família de Davi.

Prenúncios: 

Jesus usa as histórias da viúva de Sarepta de 1 Reis e Naamã em 2 Reis para ilustrar a grande verdade da misericórdia de Deus para com aqueles que os judeus consideravam indignos da graça de Deus - os pobres, os fracos, os oprimidos, os cobradores de impostos, samaritanos, gentios. Ao citar os exemplos de uma viúva pobre e um leproso, Jesus mostrou-se o Grande Médico que cura e ministra para aqueles que mais necessitam da graça soberana de Deus. Essa mesma verdade foi a base do mistério do corpo de Cristo, Sua Igreja, os quais seriam provenientes de todos os níveis da sociedade, homens e mulheres, pobres e ricos, judeus e gentios (Efésios 3:1-6).

Muitos dos milagres de Eliseu prenunciaram os do próprio Jesus. Eliseu ressuscitou o filho da mulher sunamita (2 Reis 4:34-35), curou Naamã da lepra (2 Reis 5:1-19) e multiplicou pães para alimentar uma centena de pessoas com alguma sobra (2 Reis 4:42-44).

Aplicação Prática: 

Deus odeia o pecado e não permitirá que continue indefinidamente. Se pertencemos a Ele, podemos esperar Sua disciplina quando Lhe desobedecemos. Um Pai amoroso corrige seus filhos para o seu bem e para provar que realmente pertencem a Ele. Deus pode, por vezes, utilizar os incrédulos para trazer correção ao Seu povo e Ele nos dá advertência antes de proferir julgamento. Como Cristãos, temos a Sua Palavra para nos guiar e nos advertir quando nos desviamos do Seu caminho. Assim como os profetas antigos, Sua Palavra é confiável e sempre fala a verdade. A fidelidade de Deus para o Seu povo nunca falhará, mesmo quando nós mesmos falhamos.

As histórias da viúva e do leproso são exemplos para nós no que diz respeito ao Corpo de Cristo. Assim como Eliseu teve pena das pessoas dos níveis mais baixos da sociedade, devemos também acolher a todos os que pertencem a Cristo em nossas igrejas. Deus não faz “acepção de pessoas” (Atos 10:34) e nem devemos fazer.

Fatos Culturais e Destaques:

O livro de 2 Reis concentra-se no ministério profético de Elias e de Eliseu. Baseando-se nos primeiros escritos, preservados em 1 Reis, o autor prossegue com o registro da história do Reino do Norte, Israel, e do Reino do Sul, Judá, por meio da vida de vários reis. Infelizmente, o povo de Deus ainda insiste em não se arrepender de seus pecados, de modo que Deus permite que a Assíria conquiste Israel em 722 a.C. e que a Babilônia domine Judá em 586 a.C. 

Você Sabia? 

. Os antigos pagãos acreditavam  que os poderes mágicos de uma maldição podiam ser anulados se a pessoa que a pronunciasse fosse obrigada a se retratar ou fosse morta, de maneira que a maldição acompanharia o indivíduo para o mundo dos mortos (1.6-15). 

. A calvície, bem rara entre os antigos judeus, era considerada objeto de escárnio, enquanto os cabelos exuberantes eram sinal de força e vigor (2.23). 

. Ainda é comum os uádis (braços secos de rios) da Arabá se tornarem riachos após uma grande chuva, deixando atrás de si vários reservatórios de águas. A tempestade pode acontecer longe o bastante para que nenhum sinal de vento ou chuva possa ser ouvido, mas a água se ajunta e corre leito abaixo para os vales, geralmente pegando os moradores de surpresa (3.20). 

. A ideia de que uma deidade poderia ser adorada apenas no solo da nação à qual ela estava limitada era bem comum no antigo Oriente Médio (5.17). 

. A maquiagem feminina era sofisticada: cosméticos negros para o contorno dos olhos, sombra azul de lápis-lazúli, corante vermelho para servir como batom e hena avermelhada para pintar as unhas das mãos e dos pés. Haviam também uma variedade de pós, perfumes e unguentos (9.30). 

. Era comum no antigo Oriente Médio a busca de presságios por meio do exame de entranhas de animais sacrificados (16.15). 

Fonte: 

Bíblia de Estudo Arqueológica 


Portal Teologia & Missões

About Portal Teologia & Missões -

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :