sábado, 19 de setembro de 2015

Acervo da Teologia

* Desafios Missionários da Igreja / Pr. João Emílio Cutis


DESAFIOS MISSIONÁRIOS DA IGREJA

As igrejas que se envolvem nos desafios missionários estão mais prontas para seus desafios locais. 

Esse é um importante ganho que a igreja tem quando colabora. Quem consegue enxergar para longe, enxergará bem o que está perto. O pastor que sonha com uma igreja ativa deve abraçar a oportunidade das campanhas para gerar em sua igreja a vibração com desafios. 

O estabelecimento de um alvo ajuda nisso. Os desafios alimentam o ânimo das igrejas. Elas precisam ser constantemente desafiadas; nada de mesmice e conformismo em apenas manter o trabalho local. 

Os crentes vibram quando fazem parte de um ambiente desafiador, quando o alvo é ultrapassado. Há um clima de conquista que abre caminhos para que a igreja abrace novos desafios, pois já está condicionada a ser ousada e não temer desafios. O desafio é um componente essencial na empreitada missionária. Não há cumprimento da missão sem desafio, sem ousadia. O mundo atual exige uma ação corajosa da igreja. 

   "Devemos ser cheios de paixão e fé pela obra missionária". 

 Todo desafio, para ser superado, exige fé. A igreja local precisa crer que Deus pode usá- la na salvação do mundo. Com fé todas as igrejas podem colaborar, até mesmo as mais pequeninas e com menos recursos financeiros. 

A igreja local sabe que sozinha não pode abraçar toda a Terra, mas ao dar as mãos a outras igrejas, ela se torna parte da empreitada missionária global. É bonito quando uma igreja consegue vislumbrar suas responsabilidades para além de seus muros e portões. 

 As  igrejas que se fecham não fazem bem a elas próprias, acabam enroladas num emaranhado de lamentações internas que sufocam a essência da missão, perdendo objetividade e foco. É um movimento autofágico. 

A igreja não deve se iludir com o voo solo. Já dizia o antigo ditado: 

 “Uma andorinha sozinha não faz verão”. 

 O esforço pelo crescimento local é correto e bom, mas sem deixar de lado o princípio estabelecido no Novo Testamento que incumbe a igreja de realizar sua missão simultaneamente, em vários níveis e regiões (Atos 1.8). 

 Contribuir para missões é fazer a coisa correta. Fazer missões é uma ordem dada por Jesus. Sempre que esta ordem é cumprida, há sentimento de realização. Quando o cristão faz a coisa certa, a alegria nasce naturalmente em seu coração. 

 É o tempo de levantar os olhos com fé, alegria e determinação. O mundo será beneficiado e sua igreja frutificará.

 Pr. João Emílio Cutis 
Primeira Igreja Batista de Irajá. 
Revista do Promotor de Missões 
Resumo do Artigo da Revista do Promotor de Missões. 

Acervo da Teologia

About Acervo da Teologia -

Author Description here.. Nulla sagittis convallis. Curabitur consequat. Quisque metus enim, venenatis fermentum, mollis in, porta et, nibh. Duis vulputate elit in elit. Mauris dictum libero id justo.

Subscribe to this Blog via Email :

1 comentários:

Write comentários
26 de novembro de 2015 18:53 delete

Missões eh se doar para Cristo.

Reply
avatar