"AO CONTRÁRIO DE MUITOS, NÃO NEGOCIAMOS A PALAVRA DE DEUS VISANDO A ALGUM LUCRO; ANTES, EM CRISTO FALAMOS DIANTE DE DEUS COM SINCERIDADE, COMO HOMENS ENVIADOS POR DEUS". 2 Coríntios 2. 17



quinta-feira, 3 de setembro de 2015

* D.A. Carson / Devocionais

"A cobiça é o desejo de ter mais do que na realidade se tem (não necessariamente por inveja da riqueza dos outros). Ela não só leva à contenda, mas também expressa uma atitude fundamentalmente errada diante da vida, segundo a qual os bens são o que realmente importa". 

Basta que Deus tire a vida de uma pessoa, para que no mesmo momento se perceba que os bens materiais não têm valor algum. O dinheiro não pode comprar tudo. O homem rico não conseguiu alcançar a verdadeira riqueza que vem de um relacionamento correto com Deus - dar seus bens aos pobres seguramente seria um passo que o levaria nessa direção (33). Assim ele foi um tolo, um ateu, e portanto uma pessoa insensível. 

 Como, então, deveriam ser considerados os bens materiais? Os discípulos não deveriam se preocupar com a alimentação e o vestuário (dois requisitos essenciais para o corpo), como se fossem as coisas mais importantes. O ser humano é mais importante. Se Deus alimenta as aves e veste as flores, certamente ele dará tudo que for necessário a seus filhos. De todo modo, o fato de alguém se preocupar não faz com que viva mais. Num mundo em que as pessoas estão envolvidas numa corrida por melhores condições de vida, que os discípulos busquem primeiro a vontade de Deus e sua salvação; só assim eles virão a perceber que suas necessidades físicas serão atendidas. Que eles vendam seus bens e os entreguem aos mais necessitados, e voltem seus desejos para um tesouro inextinguível nos céus. 


 Pode parecer que tais ensinamentos incentivem a indolência e a falta de preocupação com os aspectos práticos da vida cotidiana - "Deus proverá; portanto, não preciso fazer nada!". Jesus, porém, não está falando com preguiçosos, mas com aqueles que se preocupam e com os que são tentados a entrar na corrida por melhores condições de vida. Eles devem confiar em Deus e estabelecer corretamente as suas prioridades. 



 Notas 25. No grego a expressão é literalmente "um cúbito [uma medida de comprimento que poderia ser usada metaforicamente para um período de tempo] à sua altura [uma palavra que também poderia ser usada para 'curso de sua vida'].

Buscar o Reino de Deus é colocar o objetivo de vida no próprio Deus e na realização do seu propósito de trazer toda a vida sob o seu controle. (Lucas 12:13-34).

D. A. Carson




Nenhum comentário:

Postar um comentário

500 ANOS DA REFORMA

500 ANOS DA REFORMA

Postagens populares

.

E SE FOSSE VOCÊ?

E SE FOSSE VOCÊ?

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!
Você deseja honrar o corpo de Cristo? Não o ignore quando ele está nu. Não o homenageie no templo vestido com seda quando o negligencia do lado de fora, onde ele está malvestido e passando frio. Ele que disse "Este é o meu corpo" é o mesmo que diz "Tu me vistes faminto e não me destes comida" e «quantas vezes o fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes» (Mateus 25:40)... Que importa se a mesa eucarística está lotada de cálices de ouro quando seu irmão está morrendo de fome? Comeces satisfazendo a fome dele e, depois, com o que sobrar, poderás adornar também o altar.

João Crisóstomo, Comentário sobre Mateus

♛ Uma das características mais recorrentes das homilias de João Crisóstomo (347-407) é sua ênfase no cuidado com os necessitados. Ecoando temas do Evangelho de Mateus, ele exorta os ricos a abandonarem o materialismo para ajudar os pobres, empregando todas as suas habilidades retóricas para envergonhar os ricos e obrigá-los a abandonar o consumismo mais conspícuo:


“Honras de tal forma teus excrementos a ponto de recebê-los em vasilhas de prata quando outro homem criado à imagem de Deus está morrendo de frio?”


— João Crisóstomo