"AO CONTRÁRIO DE MUITOS, NÃO NEGOCIAMOS A PALAVRA DE DEUS VISANDO A ALGUM LUCRO; ANTES, EM CRISTO FALAMOS DIANTE DE DEUS COM SINCERIDADE, COMO HOMENS ENVIADOS POR DEUS". 2 Coríntios 2. 17



terça-feira, 21 de maio de 2013

*Estudando Sua Bíblia Pelo Método Indutivo / Introdução

Como Estudar Sua Bíblia

A Bíblia foi escrita para que, ao lê-la, quem quiser possa descobrir quem é Deus e como se deve viver para agradá-lo. 

Deus deseja que tenhamos intimidade com ele. Deseja ser um Pai para nós. Para termos esse relacionamento com Deus, porém, é necessário que  fale conosco. Deseja explicar-nos quem ele é e como podemos ter um relacionamento íntimo e maravilhoso com ele. Deseja também que compreendamos a bênção de viver em obediência à sua Palavra, bem como as consequências da desobediência. E quer que saibamos a verdade sobre a vida  e sobre o que vai acontecer no futuro. 

 A Bíblia diz tudo que precisamos saber sobre a vida. É por essa razão, meu amigo, que você precisa estudá-la por si mesmo.

Há muitas maneiras de estudar a Bíblia, e há muitas ferramentas excelentes de estudo que poderão ajudá-lo no que diz respeito a este ou àquele livro da Bíblia. O mais importante a lembrar, porém, é que, para descobrir o que a Bíblia diz, é necessário lê-la isoladamente, de modo que se possa descobrir o que diz, o que significa e como deve ser aplicada à vida. E a melhor maneira de fazer isso é o processo chamado estudo indutivo. O estudo indutivo não lhe mostra o que a Bíblia quer dizer ou em que você deve acreditar. Ao Contrário, ensina-lhe um método de estudo da Palavra de Deus que pode ser aplicado a qualquer trecho das Escrituras, a qualquer hora, pelo resto da vida. 

 A principal exigência para aprender a estudar a Bíblia pelo método indutivo é a disposição de não se apressar e de realmente examinar o que as Escrituras estão dizendo. Isso pode não aparecer tão difícil assim, mas, nos dias em que vivemos, é talvez a parte mais difícil de todo o processo. E, sejamos francos, meu amigo, algumas vezes você não questiona se não é exatamente o excesso de atividades- mesmo as que desempenhamos para Deus - o que muitas vezes nos impede de ser o que Deus deseja de nós?  

 O estudo bíblico indutivo usa a Bíblia como principal fonte de informação sobre ela mesma. No estudo indutivo nós mesmos examinamos as Escrituras, independentemente das conclusões a que estudiosos da Bíblia e outras pessoas tenham chegado no estudo da Palavra. Embora o trabalho dessas pessoas seja valioso, as pesquisas vêm mostrando reiteradas vezes que as pessoas aprendem mais e se lembram melhor quando participam elas mesmas do processo de descoberta. 

 No estudo indutivo, os comentários, os livros, os cds e outras informações sobre a Bíblia são consultados somente depois de termos feito nós mesmos um exame minucioso das Escrituras. Depois, sim, poderão servir para testar as observações e as conclusões a que chegamos.   

 Na verdade, talvez você já conheça alguns dos princípios do estudo indutivo. Por exemplo: se já fez algum curso de biologia, estudou as rãs, provavelmente fazendo uso da observação.  

 Para estudar a fundo a rã, primeiramente vamos a um rio ou riacho, onde vivem. Observamos seus ovos romperem-se e surgirem os girinos. Vemos os membros traseiros e dianteiros desenvolver-se, até que elas se pareçam com rãs e deixem a água. Depois de observar como reagem à sua nova vida na terra, apanhamos uma delas e a observamos mais atentamente. Por fim, levamos o animal a um laboratório de biologia, onde o dissecamos para ver como é por dentro. Depois lemos o que outros biólogos descobriram sobre as rãs para ver se nossas conclusões estão de acordo. 

 O estudo indutivo da Bíblia compreende o mesmo processo: começamos com a Bíblia, observamos suas declarações no ambiente em que foram produzidas e depois a desmembramos para compreendê-la a partir dela mesma. Depois, quando tivermos visto ou descoberto tudo que pudermos por nós mesmos, comparamos nossas observações com as de homens e de mulheres consagrados que já escreveram sobre a Palavra através dos tempos. 

  Ora, não seria bem mais fácil apenas sentar e ler primeiro um livro sobre as rãs, deixando de lado a idéia de percorrer o brejo? Mas no fim o conhecimento não viria direto da fonte. Saberíamos o que outros disseram sobre as rãs, o que poderia ser interessante e - espera-se - verdadeiro. Mas nunca teríamos tido contato nós mesmos com uma rã.   

 O estudo indutivo da Bíblia o leva a interagir com as Escrituras e, por conseguinte, com o Deus das Escrituras, de tal modo que suas crenças se baseiem num entendimento sério e numa interpretação legítima da Palavra - a verdade que o transforma quando vive de acordo com ela.  

  Se você seguir o método indutivo de estudo, os benefícios irão muitos além do que jamais esperou que pudesse acontecer com sua compreensão da Palavra de Deus. Depois de interiorizar os  fundamentos do estudo indutivo da Bíblia que apresentamos neste livro, você

 * estará preparado para estudar a Palavra de Deus por si mesmo;
 * não mais dependerá exclusivamente da interpretação alheia;
 * aumentará seu conhecimento a respeito de Deus e de seus caminhos;
 * será grandemente fortalecido na fé;
 * reconhecerá a autoridade da Palavra inerrante de Deus no dia-a-dia;
 * entenderá cada vez melhor o que significa estar em Cristo.

  Bem, meu amigo, é disso que trata este livro de estudo. É um manual projetado para ajudá-lo a conhecer e a entender a Bíblia - estudando-a de maneira que possa ver por si mesmo o que ela diz sobre Deus, o que diz sobre você e o que diz sobre o ingresso na família eterna de Deus.  

 Primeiramente o Básico 

 O estudo indutivo da Bíblia consiste em três partes, as quais examinaremos uma a uma. Na prática, porém, muitas vezes se sobrepõem. São elas a observação, a interpretação e a aplicação. 

OBSERVAÇÃO  

 A observação responde á pergunta O que a passagem diz? É o alicerce que precisa ser lançado para aplicarmos a Palavra de Deus de modo preciso e correto.  

 Já lhe aconteceu de ler um livro, um capítulo ou um versículo da Bíblia e, cinco minutos depois, não conseguir lembrar nada do que leu? Muitas vezes lemos a Bíblia com os olhos, mas não com a mente. Há muitas explicações para isso. Ou

 * pensamos que a Palavra de Deus deixará de forma mágica uma marca indelével em nós, sem nenhum esforço nosso, ou
 * não acreditamos poder entender de fato o que lemos, ou
 * esperamos que o pastor pregue sobre a passagem para sabermos em que acreditar.  

 Muitas vezes, porém, esquecemos a leitura feita simplesmente por não saber o que procurar no texto. Por isso, na primeira parte deste livro aprenderemos o que se deve procurar ao ler a Bíblia. 

 Como observar é descobrir o que a passagem está dizendo, isso requer tempo e prática. Você descobrirá que, quanto mais ler e procurar conhecer um livro da Bíblia, mais suas verdades se tornarão claras. Ficará admirado com a quantidade de riquezas espirituais até mesmo dos menores livros da Bíblia - e o descobrirá por si só! Você descobrirá que sabe! 

 INTERPRETAÇÃO 

 A interpretação responde à pergunta O que a passagem significa? E a base da interpretação correta é sempre uma observação cuidadosa. A interpretação é o processo de descobrir o que a passagem quer dizer. À medida que observar as Escrituras com detença, o significado se tornará manifesto. Entretanto, se interpretar às pressas, sem lançar o importante alicerce da observação correta, sua compreensão será influenciada por seus pressupostos - o que você pensa ou sente, ou o que outra pessoa disse, não o que a Palavra de  Deus diz.

   A interpretação não é necessariamente um passo à parte da observação, pois, muitas vezes, é quando observamos o texto com cuidado que começamos a entender o que diz. Desse modo, a interpretação brota da observação. 

  Entretanto, a interpretação pode também encerrar atos ou passos isolados que ultrapassam a mera observação do texto em causa. Um desses exercícios é a busca das passagens correspondentes ou referências. antes de tudo, deixe a Escritura interpretar a Escritura. Podemos também usar outros subsídios, como o estudo de palavras ou o exame de fontes como comentários e dicionários bíblicos, para verificar as nossas conclusões ou para complementar a nossa compreensão do cenário histórico ou cultural do texto.  

 O que faremos é dar-lhe princípios de interpretação, fornecendo seções especiais para ajudá-lo a lidar com os diversos gêneros de composição, dentre os quais as figuras de linguagem, as parábolas e as alegorias. Mostraremos também como fazer estudos de palavras e como usar ferramentas de estudo bíblico que muito ajudarão no seu aprendizado. Será emocionante - e muito esclarecedor!  

APLICAÇÃO 

 A aplicação responde à pergunta Como o significado dessa passagem se aplica a mim? Em geral é a primeira coisa que queremos saber ao ler a Bíblia; mas a aplicação correta começa de fato pela crença, a qual depois resulta em ser e agir. Uma vez sabendo o que a passagem quer dizer, não somente somos responsáveis por colocá-la em prática na nossa vida, mas teremos de prestar contas se não o fizermos! Em última análise, então, a meta do estudo bíblico individual é uma vida transformada e um relacionamento profundo e permanente com Jesus Cristo. 

 A aplicação não é um terceiro passo no processo indutivo. Mais propriamente, ela acontece quando deparamos com a verdade e decidimos agir em obediência a ela. A base da aplicação é 2 Timóteo 3:16,17: 
Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. 
Quando você souber o que Deus diz, o que quer dizer e como pôr as suas verdades em prática, estará preparado para qualquer circunstância da vida.  

  Estar instruído para toda a boa obra da vida - totalmente preparado para lidar com qualquer situação, de modo que honre a Deus - não é somente possível, é a vontade de Deus. E é isso o que aprenderá a fazer se aplicar estes princípios de estudo. Ah, poderíamos contar-lhe centenas de histórias sobre o que Deus tem feito porque as pessoas se disciplinaram para conhecer sua Palavra dessa maneira. Você ficaria empolgado! Neste momento, entretanto, o nosso objetivo não é lhe contar histórias, mas sim levá-lo às Escrituras pelo método indutivo! Depois, amigo, você poderá contar sua própria história! Gostaríamos muito de ouvi-la!

 Como a observação, a interpretação e a aplicação se relacionam entre si 

 A interpretação precisa e a aplicação correta repousam na exatidão das observações. É essencial, portanto, desenvolvermos as aptidões de observação, mesmo que à primeira vista pareçam perda de tempo ou que fiquemos pouco à vontade ou sentindo-nos estranhos ao fazê-lo. O estudo indutivo é um processo de aprendizado que não acontece da noite para o dia. Acontece na prática - vez após vez, até que se torne um hábito, e maravilhoso.

  À medida que se aprofundar no processo indutivo, perceberá que algumas vezes a observação, a interpretação e a aplicação acontecem ao mesmo tempo. Deus pode permitir-lhe fazer uma descoberta  a qualquer momento ao longo do estudo; portanto, esteja sensível à sua orientação. Quando alguma palavra ou passagem o marcar, pare por um momento e medite sobre o que Deus lhe mostrou. Submeta as suas crenças e modo de viver ao prumo da verdade. 

 Quando você souber o que Deus diz, o que quer dizer e como pôr as suas verdades em prática, estará preparado para qualquer circunstância da vida. 

 Mediante o estudo aplicado da Palavra de Deus, sob a orientação de seu Espírito, você lançará uma âncora forte que o manterá em segurança nas tempestades da vida. Você conhecerá o seu Deus.E, quando o conhecer, não somente será forte, mas fará grandes proezas por ele (Dn 11:32). 

  Estarei expondo aqui somente um resumo desse grandioso e prático estudo e fica aqui uma boa indicação desse livro acima para o seu preparo e aprendizado completo, com o livro em mãos...

Um comentário:

  1. graça e paz! parabéns pela iniciativa missonária, ser missionário é um chamado mais do que especial e arde no meu coração!! Jesus está as portas e agora mais do que nunca é algo muito próximo, é tempo de anunciar as boas novas. "Bendito são os pés dos que anunciam as boas novas". graça e paz a todos! Deus abençoe

    ResponderExcluir

500 ANOS DA REFORMA

500 ANOS DA REFORMA

Postagens populares

.

E SE FOSSE VOCÊ?

E SE FOSSE VOCÊ?

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!

DOUTOR DA IGREJA GREGA - MAIOR PREGADOR DA IGREJA PRIMITIVA - MESTRE DA RETÓRICA, DA HOMILÉTICA!
Você deseja honrar o corpo de Cristo? Não o ignore quando ele está nu. Não o homenageie no templo vestido com seda quando o negligencia do lado de fora, onde ele está malvestido e passando frio. Ele que disse "Este é o meu corpo" é o mesmo que diz "Tu me vistes faminto e não me destes comida" e «quantas vezes o fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes» (Mateus 25:40)... Que importa se a mesa eucarística está lotada de cálices de ouro quando seu irmão está morrendo de fome? Comeces satisfazendo a fome dele e, depois, com o que sobrar, poderás adornar também o altar.

João Crisóstomo, Comentário sobre Mateus

♛ Uma das características mais recorrentes das homilias de João Crisóstomo (347-407) é sua ênfase no cuidado com os necessitados. Ecoando temas do Evangelho de Mateus, ele exorta os ricos a abandonarem o materialismo para ajudar os pobres, empregando todas as suas habilidades retóricas para envergonhar os ricos e obrigá-los a abandonar o consumismo mais conspícuo:


“Honras de tal forma teus excrementos a ponto de recebê-los em vasilhas de prata quando outro homem criado à imagem de Deus está morrendo de frio?”


— João Crisóstomo