"AO CONTRÁRIO DE MUITOS, NÃO NEGOCIAMOS A PALAVRA DE DEUS VISANDO A ALGUM LUCRO; ANTES, EM CRISTO FALAMOS DIANTE DE DEUS COM SINCERIDADE, COMO HOMENS ENVIADOS POR DEUS". 2 Coríntios 2. 17



sábado, 25 de julho de 2015

* O Equívoco de Muitos Cristãos a Cristo / Igor Miguel


Um erro gravíssimo no imaginário evangélico é um certo senso de que Cristo é muito importante apenas para tornar não-cristãos em cristãos. O mesmo equívoco se estende à noção de que ao longo da vida cristã, na medida que se amadurece, menos de Cristo se precisa. Como se o Evangelho fosse uma mensagem para não-convertidos, depois, só resta uma vida moralista baseada em méritos próprios. Os reformadores não lutaram apenas para afirmar que a justificação era pela fé em Cristo, mas que esta mesma fé é a que santifica, ressuscita e glorifica. Cristo é a fonte de toda vitalidade cristã. Qualquer enfraquecimento desta centralidade implica em imediato enfraquecimento da própria vida cristã. Cristo não é só a porta, ele também é o caminho e o alvo.



* Associação Cristã de Apoio a Vulnerável de Anápolis / Conheçam esse Trabalho



Blog 

E-mail 

sábado, 6 de junho de 2015

* Convulsão Protestante / Livro de Antônio Carlos Costa - Lançamento

Muitos dos que acompanham as criativas e contundentes manifestações contra a violência e a desigualdade social e em favor dos direitos humanos, em especial na cidade do Rio de Janeiro, cuja eloquência e impacto alcançam a mídia em todo o planeta, não fazem ideia de que, por trás desse movimento, está um pastor cujo ministério sofreu uma guinada espetacular.

Em 
Convulsão protestante, Antônio Carlos Costa relata por que decidiu dar uma reviravolta em sua carreira ministerial e lançar-se na desconhecida e imprevisível jornada em favor da massa empobrecida deste país.

Engana-se quem espera do autor um texto panfletário, de pena viciada pelos usos e abusos da retórica marxista. Antônio é um pensador e articulador atento ao texto bíblico que, em dado momento, foi confrontado por Deus a agir.

Convulsão protestante ajudará o leitor a compreender por que o crescimento acelerado do cristianismo em nosso país não resultou em uma sociedade mais justa e digna para todos.




segunda-feira, 1 de junho de 2015

* Domingo da Igreja Perseguida (DIP)


O que é o DIP?

Domingo da Igreja Perseguida: cristãos brasileiros servindo cristãos perseguidos
Conscientizar a Igreja brasileira da perseguição aos cristãos é uma maneira de servir nossos irmãos e também de edificar os brasileiros em seu relacionamento pessoal com Deus

Uma celebração única, com milhares de pessoas estendendo-se do norte ao sul do Brasil em torno de um único propósito: servir cristãos perseguidos. Esse é objetivo do Domingo da Igreja Perseguida (DIP), realizado no Brasil desde 1988. 

Em pleno século 21, cerca de 100 milhões de cristãos enfrentam hostilidade e perseguição pelo simples fato de seguir a Cristo. Essa intolerância vem de várias fontes: governo, sociedade e até mesmo da família. Por causa de sua fé, esses irmãos enfrentam desde desemprego, exclusão da sociedade, expulsão do círculo familiar a interrogatórios, aprisionamentos, torturas e até mesmo a morte.

O evento, idealizado pelo Irmão André (fundador da Portas Abertas) em 1987, relembra a “fundação” da Igreja Perseguida: Atos 4 marca o início da perseguição aos cristãos logo após a descida do Espírito Santo (domingo de Pentecostes), com a prisão de Pedro e João.

Em 2014, em sua 26ª edição, 5.667 igrejas em todo o Brasil dedicaram o domingo 25 de maio para apresentar a causa da Igreja Perseguida e apoiá-la por meio de orações e ofertas. Além disso, o DIP também foi realizado nas igrejas em mais de onze países: Bolívia, Chile, Estados Unidos, Guiné Bissau, Uganda, Cabo Verde, Peru, Portugal, França, Alemanha e Japão.

Envolva-se! No domingo, 31 de maio de 2015, aproveite a liberdade que temos como Igreja brasileira e utilize-a no serviço aos nossos irmãos perseguidos. 


A Nigéria é o país mais populoso do continente africano e está entre os quatro Estados da África que mais oprimem os cristãos. Damaris é uma viúva que, no momento mais difícil de sua vida, depositou sua confiança e perseverança no Senhor. A história dela é semelhante a de centenas de cristãs nigerianas: por causa de sua fé, elas perdem seus maridos e precisam conviver com a dor da separação e do luto. Nós podemos confortá-las com a nossa oração. 


segunda-feira, 25 de maio de 2015

* Comentário Bíblico de Romanos / Livro de Bob Utley


SINOPSE: “Interpretação bíblica é um processo racional e espiritual que tenta entender um antigo escritor inspirado de tal forma que a mensagem de Deus possa ser entendida e aplicada em nossos dias.

O processo espiritual é crucial, mas difícil de definir. Ele de fato envolve rendição e abertura para Deus. Tem que haver fome (1) por Ele, (2) por conhecê-Lo e (3) para servi-Lo. É um processo que envolve oração, confissão e disposição para mudar o jeito de viver. O Espírito é crucial no processo interpretativo, mas o motivo pelo qual cristãos sinceros e bondosos entendem a Bíblia diferentemente é um mistério.

O processo racional é mais fácil de descrever. Temos que ser consistentes e estar abertos ao texto, sem nos deixarmos influenciar por nossas preferências pessoais ou denominacionais. Todos somos condicionados por nossa história. Ninguém de nós é um intérprete completamente objetivo e neutro. Este comentário oferece um cuidadoso processo racional, contendo três princípios interpretativos estruturados para nos ajudar a superar nossas tendências.”





* Desafios de Uma Ortodoxia Integral / Guilherme de Carvalho - Movimento Mosaico



Guilherme de Carvalho é casado com Alessandra e pai de duas mocinhas: Ana Elisa e Helena. Seu chamado é o ensino sobre a unidade de Criação e Evangelho, e o escopo universal do Senhorio de Cristo, e tem interesse especial por filosofia da religião, teologia natural e teologia da cultura. É formado pela Escola Superior de Teologia do Mackenzie, mestre em Teologia pela Faculdade Teológica Batista de São Paulo, e mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo. Foi professor de teologia por vários anos, e atualmente é pastor da Igreja Esperança em Belo Horizonte e diretor de L’Abri Fellowship Brasil.


Postagens populares